Archive for maio \19\UTC 2012

h1

Bem vindo ao “Inovação, Empreendedorismo, Software e Propriedade Intelectual: Modelos e Desafios”

maio 19, 2012

Este blog é uma iniciativa do nó TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação) do Núcleo de Inovação Tecnológica – NIT/UFBA. Tem dois objetivos principais: (i) discutir os benefícios e malefícios dos vários modelos de propriedade intelectual para software e (ii) divulgar a cultura de inovação e empreendedorismo na área de TIC.

(i) Propriedade Intelectual do Software.

Devido às peculiaridades de desenvolvimento de software, que muitas vezes incorporam resultados científicos amplamente divulgados em revistas, conferências e mesmo na Internet, muito se tem discutido acerca da in(adequação) de modelos convencionais utilizados em outras áreas (como patentes para processos industriais, por exemplo). Sendo o modelo de software livre uma excelente alternativa em muitas situações, sabe-se, por outro lado, que o Brasil tem grande saldo negativo no pagamento de licenças e ‘roialdes‘ de software. Nesse contexto, outros modelos, como registros no INPI e patentes, poderiam resultar em melhor benefício social, e para a UFBA em particular. Sem partir de qualquer pré-concepção sobre tais modelos, nosso objetivo é o de alimentar esse debate – que servirá de balizamento para a postura a ser adotada pelo NÓ TIC do NIT/UFBA-, ajudando os membros da UFBA (professores, estudantes e funcionários) a encontrarem aqui informações valiosas para adotarem os modelos que melhor protejam os interesses sociais e da universidade e inventores em particular.

(ii) Inovação e empreendedorismo

A inovação e empreendedorismo são os meios eficazes de transformar conhecimento gerado na Universidade em benefícios sociais, especialmente na área de TIC. Uma forma de se atingir tais objetivos é através da criação de empresas que nascem de invenções realizadas na UFBA, chamadas startups, gerando dinamismo na economia local e nacional. Através de startups, muitos polos tecnológicos têm se organizados no mundo e no Brasil, onde se reúnem diversas atividades de pesquisa e desenvolvimento, em institutos e centros de pesquisa, empresas e universidades, que facilitam os contatos pessoais e institucionais, produzindo uma economia de aglomeração do desenvolvimento tecnológico. Esses pólos tecnológicos (ou tecnopolos) de hoje representam o que eram as grandes regiões industriais na primeira revolução industrial, sendo grandes impulsionadores das economias onde se instalam.

Sejam bem-vindos

Raimundo Macêdo
Prof. Titular, DCC/IM UFBA
Coordenador do NÓ TIC do NIT/UFBA

Anúncios
h1

INPI Negócios começa com atendimento em Salvador

maio 18, 2012

O INPI inicia formalmente o programa INPI Negócios, no próximo dia 21, em Salvador, com um serviço de consultoria a empresários do estado. Neste dia, o pesquisador do INPI da área de contratos, Jorge Lameiras se reunirá com oito inscritos no programa para orientá-los sobre como garantir a produção de um bom contrato envolvendo marcas e franquia. O encontro acontecerá na representação do INPI em Salvador.

O INPI Negócios tem por finalidade garantir a oferta de serviços de apoio em contratos de tecnologia nas unidades descentralizadas do Instituto. É voltado para o públido que normalmente não utiliza o serviço de atendimento presencial do INPI no Rio de Janeiro. Esse público é composto basicamente pelas pequenas e médias empresas e gestores dos núcleos de inovação tecnológica.

O próximo encontro será no dia 28 deste mês, em Belo Horizonte. Lá o serviço será voltado para os contratos de exploração de patentes e desenho industrial.

Lembrando que o INPI é o Instituto Nacional de Propriedade Intelectual.
[Clique aqui para saber mais sobre o instituto.]

h1

UFBA tem sua primeira Carta Patente concedida

maio 15, 2012

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) comemora, através do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), a conquista de sua primeira Carta Patente de Propriedade Intelectual, concedida pelo Intellectual Property Office, da Inglaterra. A patente tem como cotitular a Petrobras e envolveu o esforço de pesquisadores da UFBA. Segundo a Profa. Cristina Quintella, coordenadora de Inovação Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação da UFBA, “somente com a colaboração e esforço de todos, cada um em sua área de competência, foi possível alcançar resultados tão bons e que parecem muito difíceis e impossíveis alguns anos antes de ocorrerem”. Para ela, especialmente o engenheiro João Nazareth L. de Mello Mac-Culloch, da Petrobras, e a GTEC da Petrobras merecem os parabéns, “pelo seu trabalho sério, esforço e dedicação”. A conquista vem ainda como um prêmio para Mac-Culloch, que está se aposentando da Petrobras, onde lidou por 32 anos, considerando que o reconhecimento internacional coroa sua atuação como engenheiro.(Fonte: portaldainovacao.org)

h1

Ainda sobre empreendedorismo…

maio 14, 2012

É em novembro, mas vale a pena se cadastrar na newsletter e receber notícias da semana global:
www.semanaglobal.org.br

Valiosa recomendação de leitura:
[Startups Link]

Notícias mais recentes:
Rumor do google estar perto de comprar a Meebo. [Link]

Dica : Como fazer e como NÃO fazer um brainstorm.

– Como não fazer: [Link]
– Como fazer: [Link]
Espero que não aprendam o contrário. 🙂

Os vídeos são baseados no fundamentos de brainstorm. No documento elaborado pela matéria Métodos de Design da Stanford estão algumas regras para o mesmo.

Minha tradução para elas com modificações:

Evite julgamentos: Suspenda a crítica por um momento, você terá tempo de sobra para avaliar as idéias com o fim do brainstorm.
Encorage idéias selvagens: não se limite.
Acrescente ao fluxo de idéias do grupo: incremente quando possível a idéia de outros.
Busque a quantidade: é bem mais facil ter uma boa ideia quando se tem muitas delas.
Falemos em ordem: tenha uma dinâmica de grupo.
Tenha um direcionamento: capture a essência do que está sendo dito e siga em frente.

A próxima atualização será de P.I.

Marcelo